A energia elétrica que é fornecida pela concessionária é alternada e varia em uma frequência de 60hz, que é o padrão no Brasil. Isso quer dizer que o sentido da corrente elétrica vai variar 60 vezes no período de 1 segundo. Desta forma, temos dentro de um ciclo completo dois semiciclos, um positivo e outro negativo:

Acontece que a maioria dos dispositivos eletrônicos precisam de corrente contínua para funcionar, e a ponte retificadora é a responsável por converter a corrente alternada (CA ou AC) em corrente contínua (CC ou DC). Ela é composta por quatro diodos retificadores e a encontramos logo na primeira etapa da fonte no circuito de alimentação. A ponte retificadora está presente em diversos dispositivos eletrônicos, e na placa do ar condicionado split não é diferente.

Ponte retificadora de onda completa

O circuito mais simples de retificação que se pode obter é o que aparece logo abaixo:

Retificador de meia-onda

Observe que temos entrada de corrente alternada e logo após o diodo retificador obtemos corrente contínua. Porém esta não é a forma mais eficiente de se retificar porque estamos utilizando apenas os semiciclos positivos da corrente alternada. Veja como fica a tensão na carga:

Tensão de saída de meia-onda (sem filtro)

Por outro lado, quando associamos quatro diodos retificadores temos assim uma ponte retificadora:

Retificador em ponte de onda completa

E desta forma conseguimos aproveitar tanto os semiciclos positivos quanto os negativos:

Tensão de saída de onda completa (sem filtro)

Vamos entender melhor agora como acontece a retificação. Quando a corrente alternada, que está no semiciclo positivo chega ao ponto A, encontra o diodo D3 em corte e segue pelo D1 que está em condução em direção ao ponto B. Como D2 está em corte a corrente passa então pela carga e chega até o ponto D, encontra o diodo D4 em condução e termina o semiciclo no ponto C.

Agora quando a corrente alternada, que está no semiciclo negativo chega ao ponto C, encontra o diodo D4 em corte e segue pelo D2 que está em condução em direção ao ponto B. Como D1 está em corte a corrente passa então pela carga e chega até o ponto D, encontra o diodo D3 em condução e termina o semiciclo no ponto A.

Veja que tanto no semiciclo positivo quanto no negativo a corrente na carga permanece sempre no mesmo sentido.

Certo, mas como se testa a ponte retificadora?

O diodo retificador mais comum encontrado nas fontes é o 1N4007 e para testá-lo é muito simples. O leitor poderá utilizar um multímetro digital na escala de diodo:

Multímetro digital na escala de diodo

As iniciais OL que aparecem no vistor querem dizer circuito aberto e em alguns multímetros poderá ser que apareça a letra I de infinito. Com a ponta de prova preta do multímetro encoste no terminal do anodo e com a ponta de prova vermelha no catodo do diodo (o lado que tem risco branco) como ilustrado abaixo:

Até aqui tudo certo, o diodo está bloqueando a corrente no sentido inverso. Lembre-se que neste momento temos nas pontas de prova do multímetro uma tensão de 3V. Agora inverta as pontas de prova e meça novamente:

Veja que agora aparece uma queda de tensão de aproximadamente 0,6V indicando que o diodo está conduzindo no sentido direto e que está bom. Diodos retificadores apresentam normalmente uma queda de tensão de 0,5 a 0,8V. Se por acaso aparecer uma queda de tensão nos dois sentidos, significa que o diodo está com defeito ou em paralelo com outro componente. Neste caso para se certificar de que o diodo está bom, levante um dos terminais do diodo e meça novamente. Repita o procedimento com os outros três diodos da ponte.

Espero que este artigo tenha te ajudado.
Grande abraço!